O QUE ACONTECE COM AS CRIANÇAS QUE MORREM NA INFÂNCIA?

O QUE ACONTECE COM AS CRIANÇAS QUE MORREM NA INFÂNCIA?
Pastor Flávio Silva

A pergunta que considero ante de qualquer outra é: Qual estado (condição) real das crianças? Trago agora um resumo das principais correntes:

a. Para os Pelagianos, não existe o pecado original, consequentemente, todas as crianças nascem imaculadas e se morrem na infância vão para o céu. 

b. Para a maioria dos arminianos, todas as crianças, ainda que herdem o pecado original, nascem em estado de graça e se morrerem vão para o céu, mas perderão esse estado na idade da consciência. 

c. Os romanistas creem que todas as crianças nascem condenadas, permanecendo assim até o batismo. Se morrerem batizadas, vão para o céu. Se não forem batizadas, não vão. 

d. Como cristãos reformados, cremos que todas as crianças nascem infectadas pelo pecado, e são salva com base na aliança da graça. Falando sobre o sacramento do batismo, o Catecismo de Heidelberg em pergunta e resposta 7 diz, "De onde vem, então, esta natureza corrompida do homem? R. Da queda e desobediência de nossos primeiros pais, Adão e Eva, no paraíso. Ali, nossa natureza tornou-se tão envenenada, que todos nós somos concebidos e nascidos em pecado. E em pergunta e resposta 74 falando sobre o sacramento do batismo: "As crianças pequenas devem ser batizadas? R. Devem, sim, porque tanto as crianças como os adultos pertencem à aliança de Deus e à sua igreja. Também a elas como aos adultos são prometidos, no sangue de Cristo, a salvação do pecado e o Espírito Santo que produz a fé. Por isso, as crianças, pelo batismo como sinal da aliança, devem ser incorporadas à igreja cristã e distinguidas dos filhos dos incrédulos. Na época do Antigo Testamento se fazia isto pela circuncisão. No Novo Testamento foi instituído o batismo, no lugar da circuncisão."

       Os Cânones de Dort no Capítulo 1 artigo 17, diz: "Devemos julgar a respeito da vontade de Deus com base na sua Palavra. Ela testifica que os filhos de crentes são santos, não por natureza mas em virtude da aliança da graça, na qual estão incluídos com seus pais. Por isso os pais que temem a Deus não devem ter dúvida da eleição e salvação de seus filhos, que Deus chama desta vida ainda na infância." E em capítulo 3,4 artigos 2 e 3, diz: "Depois da queda, o homem corrompido gerou filhos corrompidos. Então a corrupção, de acordo com o justo julgamento de Deus, passou de Adão até todos os seus descendentes, com exceção de Cristo somente. Não passou por imitação, como os antigos pelagianos afirmavam, mas por procriação da natureza corrompida."; "Portanto, todos os homens são concebidos em pecado e nascem como filhos da ira, incapazes de qualquer ação que o salve, inclinados para o mal, mortos em pecados e escravos do pecado. Sem a graça do Espírito Santo regenerador nem desejam nem tampouco podem retornar a Deus, corrigir suas naturezas corrompidas ou ao menos estar dispostos para esta correção."

       Quando Deus estabeleceu sua aliança com Abraão, incluiu seus filhos nela. Estabelecerei a minha aliança eterna entre mim e ti e tua descendência no decurso  das suas gerações, aliança perpétua,  para ser o seu Deus e o Deus da tua descendência” (Gn 17:7). E complementa com a promessa, referindo-se aos seus filhos, “e serei o seu Deus” (Gn 17:8). No Novo Testamento temos a promessa “Crê no Senhor Jesus, e serás salvos, tu e tua casa”(At 16:31). Por isso, os filhos dos crentes são chamados de “linhagem santa”(Ed 9:2), “semente santa” (Is 6:13), “povo abençoado” (Is 61:9; 65:23) e “santos” (1Co 7:14).

Publicado com a devida autorização
Pastor Flávio Silva é pastor da Igreja Reformada de Maceió, Village Campestre II

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Série: O que a Bíblia diz (VERSÍCULOS SOBRE A ELEIÇÃO E PREDESTINAÇÃO)

SÉRIE: ELEMENTOS DO CULTO. A SAUDAÇÃO

OS DEVERES DOS PRESBÍTEROS, DIÁCONOS E DA CONGREGAÇÃO