terça-feira, 30 de novembro de 2010

PORQUE CIRCUNCIDAR AO OITAVO DIA?


Por que nos tempos do Antigo Testamento a circuncisão era realizada ao oitavo dia?
Quem já não se perguntou sobre isso?

A Bíblia não nos dá resposta para esse assunto. E, sem querer ser curioso demais, pois aquilo que não nos foi revelado não é objeto de nossa fé, desejamos apenas refletir sobre a sabedoria de Deus em agir de uma maneira tão especial com seu povo exigindo dele uma prática que ia além de seus entendimentos.

...transcrevo parte da resposta dada por Sandra Oliveira no Yahoo.

A Origem da Prática
Uma recapitulação da história da circuncisão revela que ela é uma prática realmente antiga. Algumas autoridades acreditam que, com exceção à onfalotomia, o corte do cordão umbilical, a circuncisão provavelmente é o tipo de cirurgia mais antigo. A palavra circuncisão é formada das palavras latinas que significam “ao redor+cortar”, e se refere ao corte do prepúcio, ou pele do pênis semelhante à luva. Esta cirurgia tem sido praticada por muitas tribos e muitos povos além dos judeus.
Mas a ciência moderna tem fornecido razão adicional de que a circuncisão foi divinamente prescrita aos judeus, pois sua prática era sem igual num aspecto específico: o tempo. Comentando este fator específico, o célebre Dr. Alan F. Guttmacher disse:
“É digno de nota que os primitivos judeus, que fizeram muitas observações interessantes tanto em medicina como em higiene, fixaram a operação para o oitavo dia. Provavelmente chegaram aí por meio de ensaio e erro. Um número considerável de operações feitas antes do oitavo dia provavelmente sangrassem perigosamente, ao passo que as feitas no oitavo dia raramente sangram. A medicina moderna encontrou uma explicação possível na vitamina K. Esta vitamina . . . contribui para o processo de coagulação sangüínea. . . . O nível no sangue do bebê ao nascer é relativamente baixo, mas cai ainda mais durante os primeiros dias de vida, visto que a criança não pode produzir sua própria vitamina K até que ingira um suprimento salutar de germes. O trato intestinal do bebê começa então a produzir sua própria vitamina K, e o suprimento aumenta gradualmente até que alcança um nível adequado quando o bebê tem uma semana de nascido.”
Nem a vitamina K é o único fator envolvido no tempo prescrito para a circuncisão. Outro elemento coagulante do sangue é a protrombina. Resumindo informações que apareceram no periódico Holt Pediatrics, o Dr. S. I. McMillen observou que “no terceiro dia de vida do bebê a protrombina disponível é apenas trinta por cento da normal. Qualquer operação cirúrgica que seja realizada no bebê neste tempo o predispõe a séria hemorragia . . . a protrombina sobe vertiginosamente no oitavo dia a um nível ainda melhor do que o normal — 110 por cento. Daí nivela . . . Parece que um bebê de oito dias de nascido tem mais protrombina disponível do que em qualquer outro dia de sua vida inteira. Assim, a pessoa observa que . . . o dia perfeito para se realizar a circuncisão é o oitavo dia.”
Hoje em dia, no entanto, as circuncisões médicas são quase todas realizadas antes do oitavo dia ...


quarta-feira, 24 de novembro de 2010

ORANDO PELO EVANGELHO DE PODER

Qual será a diferença para a congregação, entre ter um pastor que prega eloquentemente; suas palavras promovem comoção nos ouvintes e são gostosas de ouvir; e um pastor que pregue a Palavra de Deus fielmente, não apenas em palavra, mas em "poder".

Porque o nosso evangelho não foi a vós somente em palavras, mas também em poder, e no Espírito Santo, e em muita certeza, como bem sabeis quais fomos entre vós, por amor de vós. 1 Ts 5.1

Um faminto não pode saciar-se só de olhar o pão; o pobre não pode enriquecer-se só de tocar no dinheiro; assim também uma alma não pode encontrar descanso só de ouvir o evangelho. É por isso que as palavras do apóstolo Paulo ganham sentido especial quando nos afirma: "Porque o nosso evangelho não foi a vós somente em palavras, mas também em poder, e no Espírito Santo, e em muita certeza".

Por essa razão, não basta ouvir o evangelho, mas conhecer o evangelho. Mas, não somente conhecer o evangelho, e sim sentir o evangelho. Talvez isso não seja ainda o bastante. É preciso que o evangelho seja pregado com poder "poder do Espírito Santo", um poder invisível que acompanha a pregação e que parece fazer a porta do céu se abrir diante do pecador.

Por esta razão, os profetas, tal como Jeremias, pode afirmar "Porventura a minha palavra não é como o fogo, diz o SENHOR, e como um martelo que esmiúça a pedra?" Jr 23.29

O coração que recebe a pregação do evangelho de Jesus Cristo em poder, sente na alma a deliciosa certeza de que são verdadeiras todas as palavras dele; os olhos se regozijam na abundância de Cristo; se humilha reconhecendo seus pecados e buscando perdão.

Qual deve ser a oração da Igreja de Cristo em tempos de liberalismo, restauracionismo, neopentecostalismo, pragmatismo, e tantas novidades que retiram das Igrejas a pregação fiel, substituindo-a por todo tipo de inovação. A Igreja deve clamar a Deus por pastores fiéis. Pastores que abram a sua boca nos púlpitos para pregar o evangelho de Cristo em poder. Que apresentem de forma clara a Palavra de Deus diante dos nossos olhos e nos faça tremer.

Assim poderemos dizer "nada nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor"; "sei que o meu redentor vive"; "tem misericórdia de mim pecador"; "a minha alma tem sede do Deus vivo" "habitarei na casa do Senhor por longos anos"; "estarei para sempre com Senhor"; e muitas outras palavras de gratidão, humildade, fé, que estoura sem limite de um coração que foi alvo do Evangelho de Poder.

por Lucio Mauro


terça-feira, 23 de novembro de 2010

BANCA REFORMADA

Banca Reformada.

Para quem não conhece, vou explicar melhor.

A Banca Reformada é um projeto evangelístico que visa levar o conhecimento de Cristo às pessoas não crentes e também ajudar pessoas de qualquer denominação evangélica, estimulando-ás à leitura de livros e revistas com conteúdo bíblico.

Este projeto teve início com a congregação da Igreja Reformada do Grande Recife em Dois Unidos, mas outras congregações se sentiram estimuladas com a ideia e aderiram ao projeto, como a congregação de Vera Cruz, Camaragibe.

Funciona assim: uma vez por semana, pelo menos, em um lugar movimentado do bairro, é montada a banca onde são expostos os materiais. Alguns são vendidos, mas a maioria são emprestados durante uma semana ou mais, para que a pessoa possa ler e tirar suas dúvidas no ato da devolução. São pouquíssimo os casos de não-devolução do material cedido. A maioria volta e leva outro material.

A Banca Reformada também tem sido uma ótima oportunidade para os irmãos da congregação desfrutarem os momentos de comunhão em Cristo, e criar um ambiente favorável ao diálogo com muitos visitantes.

Estas congregação colheram muitos frutos como resultado do trabalho da Banca Reformada, como a visita de pessoas descrentes aos cultos.

A manutenção deste projeto conta com a dedicação dos seus colaboradores, sem prescindir da oração da Igreja de Jesus Cristo, para que o provedor de todas as coisas, nosso poderoso Deus, possa garantir os recursos necessários e a sua graça em continuar encorajando os irmãos colaboradores.

A CLIRE - Centro de Literatura Reformada tem sido um grande parceiro neste projeto, e se você também quer ser um colaborador deste projeto doando materiais, livros, revistas e outros, entre em contato com o irmão Dado. josinaldo-dado@bol.com.br

A Deus toda a glória


por Lucio Mauro

V SIMPÓSIO REFORMADO. TEMA: AS DUAS SEMENTES

A congregação da Igreja Reformada do Grande Recife, em Dois Unidos, realiza nos próximos dias 25 e 26 de novembro de 2010, às 19 horas, no bairro de Aguazinha, Olinda, Pernambuco, o V Simpósio Reformado, sob o tema: As Duas Sementes. os palestrantes serão: Julius Vanspronsen, Adriano Gama e Kenneth Wieske.

Este tema foi usado em outros dois simpósios realizados este ano.
Livros religiosos

Este projeto surgiu como meio da congregação atender seu chamado à evangelização, proporcionando ao seu ministro e missionários que estão servindo em nosso país, a oportunidade de pregar o evangelho de Jesus Cristo publicamente.

Todos simpósios são realizados em lugares públicos, como rua, praças, ginásios, assim é possível alcançar pessoas que residem nas proximidades e que foram convidadas através dos meios de divulgação do evento, a estarem ouvindo a pregação; e isso temos percebido. Famílias reunidas em frente a casa ou se aproximando do local para participar de maneira mais ativa.

Oremos para que este evento concorra mais uma vez para a glória do bom nome de Nosso Senhor Jesus Cristo e para a salvação de pecadores