sexta-feira, 10 de setembro de 2010

CATECISMO DE HEIDELBERG - Comentado

CATECISMO DE HEIDELBERG
Introdução
por Rev. Alexandrino Moura
Igreja Reformada em São José da Coroa Grande-PE

Durante cinqüenta e três domingos, estudaremos as lições dominicais do Catecismo de Heidelberg, um dos mais vigorosos documentos teológicos da Reforma, uma cuidadosa síntese doutrinária do então emergente calvinismo.

As referências bíblicas, que no texto original são colocadas depois das respostas, colocamo-las após os tópicos a que se referem, facilitando, no nosso entendimento, a sua melhor localização contextual.

Em se tratando de “perguntas e respostas”, fácil fica a organização do questionário de avaliação, que deixo a cargo do professor, para formulá-lo conforme suas ênfases ou destaques e segundo o nível e as necessidades da classe.
CATECISMO – SIGNIFICADO

A palavra "catecismo" vem do grego "ketecheo" e significa: Instruir, preparar, moldar, habilitar para o exercício de uma função sacerdotal, iniciar um neófito nos mistérios da religião. Catequizar, pois, é transmitir os ensinos de um credo religioso com finalidades proselitistas e com o objetivo de fixação doutrinária. Isto explica o aparecimento dos catecismos a partir do século XVI, especialmente entre protestantes e reformados, ávidos e necessitados de expansão e, expandindo-se, consolidar a obra implantada por meio do consciente discipulado dos conversos. Os catecismos foram bons instrumentos na propagação da fé reformada e excelentes meios de fixação, em todas as camadas socioculturais, dos princípios evangélicos e dos primados teológicos da Reforma.
Propósito:

O Catecismo de Heidelberg, redigido por Gaspar Oliviano e Zacarias Ursino, dois teólogos reformados, professores da Universidade de Heidelberg, foi publicado, em primeira edição, no ano de l563, dez anos depois de sua redação e adoção oficial pela Igreja Reformada Holandesa. Sua publicação se deu por ordem de Frederico III e teve por finalidade:

a- Acabar com as divergências doutrinárias internas, com as disputas eclesiais; amenizar a polêmica com os luteranos sobre a presença de Cristo na eucaristia e suavizar a apologética religiosa, motivada pelas provocações externas.
b- Sintetizar o pensamento calvinista e colocá-lo em forma didática e em termos
acessíveis às pessoas de todas as faixas etárias.

c- Preparar os neófitos para a pública profissão da fé reformada. Os autores sabiam que a emoção religiosa pode produzir a "decisão", mas somente a convicção gera a certeza e a permanência do fiel na Igreja da minoria, tendo esta uma ética bíblica que, em muitos aspectos, difere e até se opõe à da sociedade secularizada.
Fontes:

Ursino foi um dos primeiros alunos de Melanchton, em sua fase protestante, seguidor de Lutero e discípulo de Calvino. O mestre genebrino o teve em grande conta e estima. No seu estágio calvinista, estudou e compreendeu as obras do reformador, vindo a ser um reformado convicto. Por sua mão, o catecismo de Calvino," Instrução e Confissão de Fé Segundo o Uso da Igreja de Genebra", publicado em francês ( l537 ), foi colocado como texto parâmetro, quanto aos postulados teológicos, para a redação do "Catecismo de Heidelberg" que, por esta razão, surgiu e se mantém como um dos mais sólidos documentos reformados. O Credo dos Apóstolos, base estrutural das Institutas, é também fonte orientadora do referido Catecismo.
Popularidade

Publicado em alemão, com prefácio do príncipe protestante, Frederico III, foi adotado oficialmente pelo Sínodo Reformado de Heidelberg em l553, quando seu texto já era conhecido e respeitado internacionalmente. A rapidez de sua divulgação deveu- se, entre outros fatores, à moderação de sua linguagem, afastada das pugnas candentes, e até violentas, daqueles dias. Pesou muito na sua aceitação, por outro lado, o seu distanciamento, na medida do possível, das acirradas controvérsias acadêmicas sobre questões teológicas; o seu aspecto devocional; a sua preocupação com a catequese e a doutrinação nisenta de conflitos teológicos.
Estrutura:

Publicado com o título: "Catecismo ou Ensino da Doutrina Cristã," popularizou- se como "Catecismo de Heidelberg". O seu esquema estrutural, com 129 perguntas e respectivas respostas, é o seguinte:
a- Do pecado, da queda e da corrupção da raça humana: Perguntas de 01 - 17.
b-Da redenção, da graça e da fé: Perguntas de 18 - 85.
c- Da resposta humana à graça, da submissão dos salvos, da Igreja, do amor
cristão: Perguntas de 86 - l29.

O Catecismo foi planejado para estudos dominicais, abrangendo o período de um ano, ou seja, 52 domingos. A preocupação dos redatores, que se valeram de opiniões diversas de eruditos teólogos, centralizava-se no ensino dominical sistemático e padronizado, pois consideravam a cultura teológica, conforme a Bíblia, de alta relevância, e uma forma de popularização das doutrinas reformadas, bem como criar a piedade e originar a paixão pela Igreja, que pretendiam subordinar às Escrituras. Somente o ensino da Palavra de Deus, pensavam, pode estabelecer bases sólidas da fé e preparar os cristãos para o testemunho consciente do Evangelho e da sua confissão credal. Numa Igreja em que todos aprendem, todos podem ministrar com segurança.
Nota:As barras ( / ) que aparecem nas referências bíblicas servem para separar,
por assuntos, as indicações escriturísticas da resposta.

Acesse para ter acesso aos comentários das doutrinas expostas no Catecismo de Heidelber pelo rev Alexandrino Moura:
http://www.scribd.com/alexandrino_moura


Nenhum comentário: