segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Entre os Pagãos e Pelo Padrão de Deus

Dia 07 de Julho de 2010
Palestra: Entre os Pagãos e Pelo Padrão de Deus (I Pe 2.11-25)
Palestrante: Dr. Nelson Kloosterman
Resumo: Marcel Mattos Tavares

Introdução I Pe 2.11-12

Nosso compromisso como Cristãos não está limitado ao trabalho ou amigos. Nós temos um compromisso muito mais abrangente porque Deus nos ama. Isto envolve abandonarmos o antigo
estilo de vida, mantermos distancia das práticas pecaminosas: Ansiedades, prostituição, glutonaria, adultério, avareza, etc. Devemos fugir da tentação de agirmos como o mundo. Devemos fazer surgira Glória de Deus no meio dos pagãos. Isso Deve ser um estilo de vida. Para que o mundo percebaisto e glorifique ao nosso Pai Celestial.
O texto agora vai tratar mais uma vez do nosso relacionamento com o mundo na esfera das
autoridades:

I. Relacionamento com o estado (v. 13-17)
Qual a relação entre o crente e o governo

a) Visão Pietista
•Ignora o governo.
•A fé cristã só tem a ver com a alma, salvação e como chegar ao céu.
•Não envolve-se com a política

b) Visão Anabatista
•Não ignora o governo mais resiste a ele.
•Não cumpre com as obrigações militares
•Não serve a nenhum oficio politico
•Não faz nenhum juramento.

c) Visão Mista (Cristianismo e Política entrelaçados)
•Políticos pedem votos nas igrejas.
•Muito perigoso para ambas as partes.
•O Cristianismo fica identificado com o estado e seus problemas peculiares.

d) Visão Bíblica
•Respeitar o governo.
•Submeter-se ao governo como cidadãos do reino aqui na terra.
•Submeter-se ao governo como cidadãos do reino dos céus.
•Submeter-se as autoridades em geral.

O Senhor estabeleceu que vivêssemos em respeito as autoridades para que seu nome fosse glorificado e porque as autoridades foram constituídas por Ele (v.13). Submeter-se as autoridade é submeter-se ao Próprio Deus.

O governo existe de baixo de Deus. Eles devem manter a justiça, punindo o malfeitor e
galardoando aqueles que fazem o bem (v.14). Os cristãos pelo seu proceder santo podem calar os
abusos do governo (v.15). Quando estamos vivendo de maneira submissa aos governadores estamos exercitando a liberdade (v.16).

Ista forma de pensar é contra o mundo que não quer se submeter a ninguém e diz que liberdade é não ter ninguém acima dele. Somos livres por causa de Cristo, liberdade das paixões carnais e liberdade no mundo para honrar a Deus e os governantes e também o nosso próximo (v.17). Esta forma de ser é bastante incomum nos dias de hoje.

II. Relacionamento com o trabalho (v.18-20)
•Submeter-se as autoridades inclui os patrões e mestres ( professores, pais, oficiais da igreja).
Muito embora muitas vezes eles sejam exacerbados em suas condutas.
•Temos que nos submeter por causa de Cristo. Devemos ter a disposição de sofrer
injustamente muitas vezes.
•Não devemos levar em conta o caráter dos nossos superiores para começarmos a obedecê-
los.
•Devemos ser pacientes nas adversidades e pacientes as autoridades dos homens falíveis
(v.20).

Estas coisas não fazemos para sermos salvos, mas para sermos testemunhas de Cristo o qual se submeteu até a morte mais humilhante da época. Estamos buscando a aprovação, o galardão de Deus, e isto vem só no fim.

III.Vocação geral de todos os cristãos (v.21-25)•
O cristão deve ter a disposição de sofrer assim como Cristo sofreu (v.21).
•Somos chamados ao sofrimento. Cristo sofreu inocentemente (v.22).
•Jesus não procurou se justificar e nem se vingava oralmente dos seus algozes (v.23).
•Deus nos chama para testemunharmos em nós mesmos o sofrimento de Cristo.

Toda vez que deitarmos em nossas camas temos que refletir se estamos agindo como Cristo, diante dos acusadores. O sofrimento não é algo que por acaso aparece em nossa vida, ele faz parte da vida Cristã. Esta mensagem não é muito difundida no cristianismo moderno. Devemos morrer todos os dias para o nosso pecado, para as nossas vontades para a nossa velha natureza e desejos pecaminosas.

Casamento Cristão: Peregrinos Ajudando Peregrinos

Dia 08 de Julho de 2010
Palestra: Casamento Cristão: Peregrinos Ajudando Peregrinos
(I Pe 3.1-16)
Palestrante: Dr. Nelson Kloosterman
Resumo: Marcel Mattos Tavares

Introdução

I Pe 3.15 – O palestrante nos encoraja a termos o caráter deste texto. Esta deve ser a maior característica da vida peregrina. Casamento é importante para influenciar a sociedade. O lar deve influenciar a sociedade e não o contrário. Devemos lutar contra as influencias do mundo.

Dois aspectos importantes da introdução:

•O impacto do estilo peregrino do mundo ao nosso redor (Como uma pequena igreja pode
impactar uma sociedade inteira? Como uma esposa cristã pode influenciar um marido
descrente?).

•Devemos estar preparados para responder a todo aquele que pedir razão da nossa esperança
As filhas de Sara I Pe 3. 1:6

Caráter contra cultural no texto, ninguém gosta de ouvir certas verdades por causa da
influencia venenosa do feminismo. Estes versículos não são apenas para as mulheres, mas para os homens também, no sentido de que eles não podem agir com orgulho a suas esposas.

O chamado das mulheres a submissão a seus maridos

•I Pe 3.1-2 – Caráter evangelístico da submissão cristã
•I Pe 3. 3-6 – A beleza imarcescível da submissão cristã

Aqui não trata da inferioridade ou superioridade. A autoridade emana submissão, é como a relação entre Deus Pai e Deus Filho, ninguém é superior, mas sim possuem atribuições diferentes (Ef 5.21-22).

Os maridos devem aprender a amar suas esposas. Devem tratá-las conforme Cristo tratou a igreja e entregou-se por ela. As mulheres devem ser submissas como Sara para com Abraão(Honra e respeito) (Gn 18.12).

As mulheres tem que ter critérios para escolher seus futuros maridos assim como os homens
para com suas futuras esposas. Para as mulheres, estas devem buscar alguém com os atributos de Cristo. E os homens devem escolher mulheres com disposição para ser como Sara.

Submissão a autoridade como evangelismo

Honrar ao Senhor em casa, brilhando com a luz de Cristo. Submissão peregrina, mesmo com
marido não cristão. Ela deve seguir se submetendo.Desta forma a esposa poderá ganhar seu marido mesmo sem palavras.

Submissão de uma esposa com marido descrente deve levar em conta a natureza evangelística; A beleza da mulher cristã deve ser interior, pois a exterior é passageira. (Ez 16; I Pe 3.3-4)

Onde deve residir a beleza feminina

No coração. A beleza exterior é passageira. A beleza da mulher deve residir no seu
relacionamento com Cristo.

•I Pe 3.5 - O evangelho liberta da moda e dá a verdadeira

Jerusalém, A Esperança do Retorno

Dia 08 de Julho de 2010
Palestra: Jerusalém, A Esperança do Retorno
(Ez 37.1-14)

Palestrante: Pr. Paulo Brasil
Resumo: Marcel Mattos Tavares

Introdução


O Palestrante faz uma introdução interessante a respeito do livro de Ezequiel. Este livro não pode ser encarado de forma dispensacionalista, no sentido da expectativa dos acontecimentos dos eventos para hoje. O palestrante faz uma distinção entre dois termos: “tipo” e “antítipo”. “Tipo” seria como os sacrifícios que apontavam para Cristo e “antítipo” seria o próprio Cristo. Explica que não faz sentido reproduzir certas coisas hoje, pois estas eram apenas sombras das coisas que viriam.
Exemplo: a igreja de hoje quer reproduzir a arca, o templo ou sacrifícios. Isto é perigoso porque anula o sacrifício de Cristo.
Este capítulo vai tratar do retorno a terra mediante a ressurreição dos mortos.

Divisão do capítulo

A profecia em si – visão do profeta(v.1 : v.10)
Explicação da profecia (v.11 : v.14)

Os ossos secos. Quem são? Podem eles voltar a ter vida?
O contexto era da ressurreição dos mortos do povo de Israel para voltar a terra. Eles estavam mortos há muito tempo. Os ossos secos e a igreja de hoje podem ser comparados. Muitas igrejas abandonaram a fidelidade a Palavra . É possível uma igreja retornar as suas raízes doutrinárias desde que, pela graça, identifiquem que estão como os ossos secos (mortos).

Esta repetição do verbo profetizar evidencia a necessidade dos ossos voltarem a ter vida mediante a Palavra. Existiam muitos falsos profetas na época os quais diziam que não havia a necessidade do povo arrepender-se.

Ordem dos acontecimentos

I. v.7 – profetizei segundo fora me ordenado
II. v.9 – profetiza ao espírito, profetiza, ó filho do homem
III. v.10– profetizei como ele me ordenara

Importante

Ez 13.1 – Ezequiel fala o que Deus manda e os falsos profetas falam o que está em seus corações.

Nova criação é o ensino deste texto da mesma forma que em Gn 2.7 (Ez 37 – recriação).
Jo 11.39-43 – Lázaro ressuscitado da morte por meio da Palavra. Em todos estes contextos de ressurreição a Palavra trouxe a vida.
Quando Ezequiel falou, ele falou como o filho do homem e naquela voz os ossos ouviram e obedeceram.

O que se poe entre o caos e o exército poderoso A palavra de Deus que é poderosa para renovar as esperanças.

Os ossos secos
v.11 – Os ossos são toda a casa de Israel. Todo o povo sendo disciplinado.
v.12 – v.13 - “ó povo meu”, apesar da destruição eles continuaram sendo chamados de maneira amorosa. Deus é imutável. Fica evidente este atributo. Nada ao nosso meio vai mudar se não for pela pregação da Palavra.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Educação Cristã - Entendendo nossa responsabilidade

Educação Cristã - Entendendo nossa responsabilidade
Marcel M. Tavares
- Rio de Janeiro
Igreja Bíblica Reformada em Cabo Frio

Introdução

É notório como a educação é vista como tema central em qualquer governo ou por qualquer pessoa de diferente classe social. Tamanha é a importância do tema que não pode ser desconsiderada, seja por pessoa, religião, raça ou condição financeira. A educação foi dada por Deus para um fim específico; A saber, para que o homem com sabedoria sujeitasse todas as coisas ao seu controle (Gn 1.28) e reconhecesse o seu criador como Senhor absoluto de tudo que existe.
A responsabilidade primária de educar os filhos foi dada aos pais. Porém, é uma pena ver hoje que muitos pais cristãos abandonaram completamente esta responsabilidade e a puseram nas mãos de pessoas ideologicamente orientadas que desprezam absolutamente a Deus e a sua palavra. Com isto em mente estarei desenvolvendo uma série de artigos no intuito de provocar o “gostinho” inicial ajudando, mesmo que de maneira um pouco superficial, àqueles que desejam entender melhor este tema. O objetivo é criar o interesse para que você mesmo possa buscar as informações. Deixarei no fim de cada exposição alguns links e bibliografias para sua pesquisa.

1. Entendendo o Conceito de Cosmovisão
Cosmovisão é um termo filosófico difícil de ser expresso com palavras. Porém, podemos exemplificar: Imagine que você tenha nascido em uma ilha, lá existem pessoas que não guardam nenhuma relação com pessoas de outros lugares.

Elas nem mesmo sabem que existem pessoas fora da ilha. Nesta ilha os bons costumes são regulados por leis, os cidadãos possuem tratamentos peculiares, festas diferentes, os relacionamentos são diferentes, o conceito de família e educação também são bem particulares desta localidade e tudo isto é determinado sob a orientação de um ser soberano, não propriamente um deus, mas alguém que é a causa deste efeito.

Então, você cresce nesta ilha e participa de todos estes aspectos peculiares que os julga verdadeiros. Não há conflito na sua mente em relação a veracidade destes aspectos. Você apenas continua crescendo e inconscientemente obedece todas as normas e tem seus gostos moldados dentro deste “esquema” de vida. Pois bem, podemos dizer que esta pessoa vive dentro de uma cosmovisão.

A cosmovisão não precisa ter pressupostos verdadeiros. Ou seja, muitas pessoas podem estar vivendo dentro de uma cosmovisão errada..

2. Cosmovisão Cristã
A cosmovisão cristã é a maneira de ver e entender o mundo sob orientação de princípios Bíblicos bem fundamentados. Estes princípios mudam toda nossa maneira de pensar e agir dentro da realidade que vivemos (o cosmos). Vivemos numa realidade onde Deus está no centro. Ele é o criador e mantenedor de todas as coisas (Sl 147) . Por isso, tudo que nós fazemos deve ser para a glória dEle. Toda nossa existência deve ser dedicada a Ele.

3. Como o cristão deve viver
Muitos cristãos vivem como se estivessem dentro dos dois tipos de cosmovisão. Eles separam a vida em duas secções: A igreja e o mundo. Estas pessoas agem na igreja de uma maneira diferente como agem no mundo. Elas vivem ao mesmo tempo o “sagrado” e o profano.

Na Bíblia não vemos esta divisão. As Sagradas Escrituras nos ensina em 1 Co 10.31 “Portanto, quer comais quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus.” Devemos examinar este versículo a luz da cosmovisão cristã, verificando que nas coisas mais simples e básicas da vida como comer e beber temos que fazer para a glória de Deus. E o que diremos daquelas que consideramos não triviais e damos maior valor como educação, relacionamentos, negócios e trabalho? Também nestas coisas devemos fazer pensando na glória de Deus.

Links
O Que Estão Ensinado aos Nossos Filhos
http://monergismo.com/?p=2342

Revolução Sexual e Marxismo
http://padrepauloricardo.org/cnp/audio/revolucao-sexual-e-marxismo/

REABRE BIBLIOTECA DO SEMINÁRIO BATISTA EM PERNAMBUCO (STBNB)

A biblioteca do Seminário Teológico Batista do Norte do Brasil, BSTBNB, reabre depois de dois meses trazendo algumas novidades.

Além de salas com prateleiras novas e ambiente climatizado, foram ampliadas as sessões referentes a outros temas de estudos como sociologia, psicologia, língua portuguesa e cultura.

Desde 1902 a biblioteca disponibiliza aos seus estudantes e público em geral um acervo de livros que atualmente conta com aproximadamente 55 mil títuos, sendo a maioria de conhecimento teológico.

O acesso à biblioteca é gratuito e aberto para qualquer pessoa. "Temos salas de leitura com cadeiras e mesas para as pessoas ficarem a vontade. Ainda há alguns computadores com acesso à internet", apontou o pastor Ramos André. Os empréstimos também são permitidos, mas é necessário fazer um cadastro no local. A instituição fica aberta de segunda a sexta-feira, funcionando no horário de 8h às 22h.

Informações: 3366-3277
Rua Padre Inglês n. 243, Boa Vista, Recife. PE.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

A ESPERANÇA DO CRISTÃO

XIX SIMPÓSIO REFORMADO OS PURITANOS
A ESPERANÇA DO CRISTÃO

Dia 06 de Julho de 2010
Palestra: Em Busca da Esperança I (Lm 3)
Palestrante: Dr. Don Kistler
Resumo: Marcel Mattos Tavares
Introdução


Esta é uma mensagem de esperança . A nossa sociedade é marcada pelo desespero. Guerras, drogas, gravidez na adolescência, alcoolismo, promiscuidades. Isto não é possível de reverter somente com a educação.

As pessoas lutam contra estes males por duas razões:

•Para parar a dor
•Para conseguir o prazer.

O problema não está nas coisas externas, mas está dentro do coração humano. O problema é
espiritual e afeta tanto o ímpio quanto as pessoas que se dizem cristãs.
Jeremias é chamado de “o profeta chorão”. Ele era um homem muito emotivo e estava lamentando pelos problemas pessoais e da nação. Jeremias está lamentando

•A cerca de Deus (Lm 3.1-16)
•A Deus (Lm 3.17-21)

Nos versos 19 e 20 é importante fazer uma comparação com os falsos pregadores da saúde e
prosperidade que nunca irão tratar da situação destes versículos.
Jeremias atribui toda sua condição dolorosa a Deus Um puritano escreveu um volume bem extenso sobre a aflição e a esperança com o título “O cristão mudo debaixo da vara que arde” onde argumenta exaustivamente sobre Salmos 39.9. Jeremias é afetado completamente

•v.4 Jeremias foi afetado fisicamente
•v.7 Jeremias foi afetado mentalmente
•v.8 Jeremias foi afetado espiritualmente
•v.14; v.17 Fez Jeremias desanimas de orar.
•Afetou seu relacionamento com os outros.

O encontro com a esperança
No versículo 21 vemos uma afirmação não esperada.
De onde vem isto? Como ele encontrou esperança?

Jeremias diz a si mesmo a verdade, ele diz aquilo que ele precisava ouvir mesmo diante do caos. Jeremias relembra o que lhe trazia esperança (lembranças estabelecidas). Aqueles que não tem na mente as verdades de Deus não podem relembrar tais verdades.
Que verdades são estas que Jeremias Relembra?

1) (v.22a). “As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos”
2) (v.22b). “porque as suas misericórdias (compaixão) não tem fim...(v.23a) renovam-se a cada manhã.
3) (v.23b). “Grande é a tua fidelidade”
4) v.24. Declaração da suficiência do Senhor depressão confrontando a si mesmos com a verdade.

A origem desta verdade encontra-se na auto revelação de Deus nas sagradas escrituras. A Palavra de Deus está acima de qualquer experiencia.
A solução do problema é um entendimento e conhecimento de Deus. Isto não significa que você só precisa ler mais e orar mais. Precisamos de um conhecimento profundo de Deus. Devemos sempre repetir estas verdades para que possamos manter o foco na verdade e jamais sermos desamparados por Deus. O homem precisa sempre ouvir a voz de Deus em sua Palavra. Para que assim possa trazer á memória aquilo que dá esperança.