Postagens

AS 67 TESES DE ULRICO ZUINGLIO QUE VEIO A PÚBLICO EM 14 DE JULHO DE 1523

Imagem
por Lucio Manoel

Ulrico Zuinglio foi um Reformador suíço que empreendeu a Reforma a partir de Zurique para vários cantões suíços. Ele apresentou suas teses, conhecidas deste 1519, ao Conselho da cidade que as aprovou, sendo publicadas em 14 de julho de 1523. Zuinglio foi nomeado Sacerdote do Povo, servindo em Zurique até o fim de sua vida.

O Reformador angariou o apoio da liderança de Zurique, mas também da população, o que facilitou a propagação da Reforma da cidade. Sua Reforma foi mais profunda que a proposta por Lutero, e aconteceu independentemente dela, apesar de ter conhecido as 95 Teses de Lutero. Em suas teses, Zuinglio levantou discussão sobre temas importantes, como a natureza una da igreja: clero-povo; celibato; cobrança pelas cerimônias; substituição do Latim pelas línguas originais e vernáculas; remoção das imagens; ofícios eclesiásticos; disciplina; união entre igreja e estado.

Zuinglio era um filho da Suiça. Ele nasceu em 1/1/1484, na cidade de Wildhaus. Casou-se em 1529 c…

26 SIMPÓSIO REFORMADO OS PURITANOS 2017 (palestras, palestrantes, cântico dos Salmos)

Imagem
por Lucio Manoel
Como acontece anualmente, a cidade alagoana de Maragogi recebeu mais Simpósio Reformado os Puritanos. O evento que alcançou a sua vigésima sexta edição aconteceu no Hotel Praia Dourada e contou com mais de trezentos participantes (este ano o número de participantes teve de ser reduzido por causa da interdição de algumas alas do hotel que foram interditadas para obras de recuperação e modernização). Durante cinco dias, 26 a 30 de junho de 2017, os presentes desfrutaram de comunhão com cristãos de todo o Brasil, de diferentes igrejas, de confissão reformada ou não.
Entre os muitos momentos especiais do Simpósio, o cântico dos Salmos com certeza ocupa lugar de destaque. O Simpósio Reformado os Puritanos tem servido maravilhosamente ao propósito de despertar e estimular igrejas a recuperar o cântico congregacional dos Salmos. São muitas as igrejas que, por todo país, já adotaram o Cântico dos Salmos.
Você pode assistir aos cânticos dos Salmos deste Simpósio Os Puritanos 2017…

DOUGLAS WILSON, TEÓLOGO E ESCRITOR REFORMADO, ALIADO DA VISÃO FEDERAL

Imagem
por Lucio Manoel
Douglas Wilson é pastor nos Estados Unidos, ministro da Christ Church, na cidade de Moscow, estado do Idaho. Participou da fundação da Logos School, é ativo em várias organizações destinadas a promover a cosmovisão cristã e tem participado de debates apologéticos.
É autor de vários livros. No Brasil já estão publicados alguns na área de família, como Futuros homens, Reformando casamento e o mais recente, Fidelidade, publicado em 2017. Estes livros foram publicados pela editora CLIRE. Além destes, O ateu em delírio, Cinco cidades que dominam o mundo, Persuasões, O cristianismo é bom para o mundo?, Educação clássica e educação familiar (participação) e Eu sei em quem tenho crido (participação).
Wilson é reconhecido como cristão conservador, mas não deixou de envolver-se na polêmica sobre Visão Federal. Recomendo o artigo escrito por David Engelsma, intitulado Visão Federal. Esta abordagem transita no campo reformado, não obstante ser rejeitada pela maioria das igrejas …

ELIAS E ELISEU, JOÃO E JESUS

Imagem
É notável que o próprio Antigo Testamento termine relembrando Elias e proclamando a sua volta (Ml 4.56). Os escritores do Novo Testamento também fizeram um extenso uso das narrativas de Elias e Eliseu. Mateus fornece um bom exemplo de como os autores neotestamentários desenvolveram esses materiais.
O primeiro evangelista traça paralelos literários entre as vidas de Elias e Eliseu e as de João Batista e Jesus. Ele apresenta João como o cumprimento da profecia de Malaquias de que Elias voltaria (Ml 4.5) e caracteriza Jesus como o novo Eliseu. É provável que os judeus do tempo de Jesus esperassem que Elias ressurgisse literal e fisicamente da sepultura e, portanto, quando João Batista foi questionado se era Elias, ele respondeu: “não sou” (Jo 1.21). Ao menos no início de seu ministério, João Batista parece não estar consciente de que cumpria o papel do esperado Elias. Por outro lado, Jesus descreveu João como “o Elias que estava para vir” (Mt   11.14; 17.12), e Mateus segue esse caminho p…

O CONSERVADORISMO DE LUTERO, CURIOSAMENTE INFLAMA O REVOLUCIONISMOEVANGÉLICO DE SEUS DIAS

Imagem
por Lucio Manoel
A Reforma não aconteceu do nada. A atitude de Lutero, fixando as 95 Teses na porta da capela do castelo de Wittenberg, também não. A Europa estava passando por sérias transformações sociais, mas também políticas, havia muito tempo. A religião andava nestas esteiras, não sem elas ou fora delas [1].
A Europa feudal criara um sentimento de opressão dos príncipes sobre os operários. Os grandes centros estavam mais propensos às mudanças, por causa de seus constantes contatos com as novidades que chegavam de toda parte, mas as zonas rurais não estiveram à parte do fenômeno de renovação da fé evangélica que o monge agostiniano havia exacerbado.
A religião protestante oferecia um ingrediente novo aos anseios por libertação, da opressão sentida pelas pessoas comuns em relação ao domínio dos príncipes: a descoberta da fé num Deus gracioso, que renovava a esperança de uma vida mais justa, e de liberdade.
Dentro das igrejas, as aspirações por mudanças já eram sentidas séculos an…

CALVINO, GENEBRA E AS CAMADAS DO SAGRADO - Dr. Luiz Fabiano de Freitas

Imagem
Calvino, Genebra e as camadas do sagrado
Dr. Luiz Fabiano Tavares A cidade Suíça de Genebra representou importantíssimo papel na história da Reforma. Em 1526 os cidadãos de Genebra romperam com a casa aristocrática de Saboia, que dominava a região, fundando uma república. Já nesse tempo ideias reformadas circulavam na cidade e em 1535 o conselho governante rompeu laços com a Igreja Católica, adotando formalmente a Reforma no ano seguinte. Nas décadas subsequentes Genebra recebeu grande quantidade de refugiados que fugiam de perseguições religiosas, especialmente vindos da França. O mais famoso desses refugiados, sem qualquer dúvida, é João Calvino (1509-1564), que no ano de 1541 se instalou definitivamente na cidade, tornando-se nos anos posteriores um dos mais destacados pensadores reformados. O viajante que visite Genebra poderá encontrar inúmeros testemunhos de sua história e da importância da Reforma na formação da cidade, inclusive no belíssimo Museu Internacional da Reforma. A pequ…

IMAGENS SAGRADAS PODEM SERVIR COMO LIVRO PARA IGNORANTES?

Imagem
por Vivius Silva Pimentel
As discussões dos últimos dias sobre a suposta validade de "imagens pedagógicas" de Cristo me levaram a reler o capítulo 11 do primeiro livro das Institutas. Trata-se dum capítulo em que se apresenta com especial clareza não apenas a sabedoria de Calvino, mas também a sua (nem sempre tão) fina ironia.
A certa altura, ao discutir o argumento de que imagens são "livros para indoutos", Calvino sai com esta tirada cavalar: "Há uma simples razão pela qual aqueles que têm igrejas a seu encargo entregam o ofício do ensino aos ídolos: é porque eles próprios são burros".
A grosseria talvez seja desnecessária, mas o argumento que a precede é bíblico e valioso: tudo o que as imagens nos ensinam a respeito de Deus é necessariamente "fútil e falso". O madeiro é "ensino de vaidade", diz Jeremias (10.8), e a imagem de fundição apenas "ensina mentira", diz Habacuque (2.18). Fazer representações visíveis de Deus é a…